17 de ago de 2017

A noite... eu e você

- Eu já não sei.
- Como assim?
- Não sei... quero ter a esperança, mas... a cada dia o mundo vem com uma novidade diferente, será que no meu interior fico pensando nessas merdas que acontece e nem percebo?
- Não acho isso possível.
- Como não?
- Ué... você saberia. Sei lá... por que você mandaria essa energia ruim para o seu subconsciente?
- Eu vou saber... mas é a única explicação plausível que encontro.
- Você deveria perder seu tempo ou melhor aproveitando seu tempo fazendo tudo aquilo que realmente acha que faz.
- não faço nada do que digo?
- Pelo menos não o que ama, ou acha que sabe fazer.
- Olha... na boa, existe muita coisa que não manjo, muita é uma referência safada... existe trilhões, zilhoes e foda-se de coisas que não manjo... mas escrever, rimar meus mundos, encontrar lugares... isso eu sei... e nada nem ninguém será capaz de me tirar isso.
- Apenas eu.
- Voce me tira tudo.

- É... eu sou seu tempo... e você me desmonta em desperdícios quase todos os dias... poucas horas não são suficientes para nós.