16 de set de 2011

Mãe Natureza despertando...

A natureza reclama seu espaço ocupado
Vem com suas ondas gigantes
Destruindo tudo que pode
Correndo solta por dentro das casas
Arrastando coisas
Ceifando vidas
Diminuindo o ritmo
A natureza ainda espera
Adormecida... nos buracos quentes
no fundo do terra
O homem mente pra si
Acredita que é tudo seu
Cada mata, cada floresta virgem
O pedaço de chão
O fruto e o pão
Tudo é seu e de mais ninguém
A natureza vez ou outra
Desperta do seu sono de paz
Sentindo as dores
De cortes e queimadas perfurando sua pele grossa
O homem como vírus do mundo
Contamina cada fração de vida silvestre
Cada gotícula de água cristalina
O desespero surge
Quando a mãe bate
Quando a mãe repreende
Tirando seus maiores amores
E o homem teimoso... não aprende
Continua ... 
Quebrando, queimando, poluindo, estragando...

Sentenciando assim... persistentemente

Seu fim...

Nenhum comentário: