20 de set de 2011

Fresta de luz...

As pedras vão caindo aos montes...
Ocupando os espaços
Querendo impedir a passagem
O Sol vez ou outra tenta fugir
Correndo do caos
Não consegue brilhar
Sob tão intensa chuva e tempestade

Eis que uma pedra é carregada pela enchente
E uma fresta de fuga surge
Corrida para a vida recomeça
Passos intensos
Arrastando o corpo cansado
A coragem rasteja para a luz

Aos poucos...
Os campos verdes acolchoam os pés calejados
A água límpida purifica a alma de esperança

E de repente...
Os obstáculos param de desabar
O caminho começa a clarear
É tempo de colher
Aquela plantação cultivada com muita luta... e determinação
É tempo de saborear os frutos
Da estrada árdua...
Da vida dura...
Da fé... que com perseverança e vontade...
Se chega lá...
Não importam os desafios...
Se chega lá...
Só manter o coração livre de maldade...


Nenhum comentário: