26 de set de 2011

Entre Maia e Lantaura... no peito a saudade!

Como devo lutar contra esse sentimento?
Barrando quem eu sou...
Destruindo meus anseios?
Como vou deixar de sentir
toda a nossa história 
todo nosso amor?

...
Avançam Eras...
Engolem-se os mundos...
Dominam os monstros...

E mesmo na batalha...
Das guerras diárias...

Ainda tenho tempo...
Para sentir no peito...
O amor não vivido...
Ainda tenho meu canto negro
Onde navega a saudade
E me destrói
Mais que magias, armas e morte.

Nenhum comentário: