18 de mai de 2010

Eu amo você!




Você anda tão recente na minha memória
Você anda tão perto como se aqui estivesse...
Porque dessas lembranças repentinas?
Se não sei por onde andas
Se...
Lembra de mim
Se algum dia recordou de nós dois...

Porque sua eterna presença aqui?
Porque não sigo meu caminho?
Sem vê um pedaço seu
Em cada rosto?
Em cada um?
Porque não me curo de você?
Porque esse amor adentra os anos?
Adentra meu ser?
E constante caminha como se nunca apagasse?
Que fogo eterno é esse?
Que não me tira essa saudade?
Que não me livro de você?

Porque ainda recordo de cada momento
Como se ontem... tivéssemos vivido
E não... anos atrás?
Porque?
Porque?
Eu amo... amo... tanto e tanto você?

Nenhum comentário: