23 de jan de 2010

naquele andar...

Nosso olhar se cruzou
Tentei algo dizer
Mas a voz não saia
nada vinha
nem sequer um oi
eu fiquei inerte vendo-o ir embora
dando um sorriso com os lábios trancados
meu coração gritando não vá
minha respiração ofegante pela despedida
As lágrimas que brotavam
tudo num segundo
num enconro ao acaso
assim repentinamente
meu chão afundava
meu ser despedaçava
e eu lentamente me desfazia
sentindo cada pedaço de mim
cair ao chão...
morto...sem vida...
E por que nada fiz?
Nenhuma resposta...
Somente o vazio da saudade...
Somente o mundo das lembranças..
Nada mais...

Nenhum comentário: