28 de set de 2009

Talvez...

Sinto-me tão sozinho
Olho ao redor e nada me diz
O que devo fazer aqui
Dentro de poucos segundos talvez algo possa acontecer
E de repente posso descobrir um sentindo pra seguir
Mais agora neste milésimo de solidão
Quero entender apenas o sentido pra viver
Vejo ao redor
Tanta tempestade a se criar
E a bonança do teu olhar não vem me acalmar
Escuto os raios enlouquecer pelo céu escuro
Não me detenho com a chuva intensa
Ando vagando feito louco
Pela noite fria
Ganhando um pouco de sossego no meu espírito
Atormentado por não saber o que destrói tanta vida
Hoje nem perto, nem longe, encontro a paz.
Somente coroa a existência vazia
Nem quero pensar
Porque indeciso me encontro
Impossível não buscar razão de tudo
Fraquejo ao me deparar
Que nada responde ao que anseio
Terei que aceitar
A tempestade enlouquente
Teu riso ausente
Ir-me
Cabisbaixo
Pequeno
Sem questionar
O que me trouxe até aqui
Ir-me sem rumo certo neste melancólico horizonte

Nenhum comentário: