25 de ago de 2009

No fim...

Ele olhou... olhou...
Mas não conseguia saber o que era...
Seus grandes olhos curiosos...
admirava aqueles pulos tortos e as intensas cores ...
Cambaleando tentava se aproximar...
O que será que o encantava?
Que o fazia pelas parede escorar ...
tentando manter seu velho corpo ereto...

Um pequeno e frágil inseto?
Uma borboleta caída ao chão com suas asas cortadas?
Era o que os meus olhos alcançavam...

Seu sorriso tolo e ingênuo brotava nos lábios...
Eu de longe...
Com minha tela e minhas tintas...
Parei diante do que via...
O esforço era imenso...
Seus passos lentos... guiados por suas calejadas mãos que de pé o mantinham...

Com muita dificuldade ele se abaixou e pegou o inseto semi-morto
Empolgado ... perdeu o equílibrio e caiu ao chão...

Eu pensei em ir ajudá-lo...
Exitei...
Ele segurando-se com uma das mãos apenas...sentou-se e se ajeitou...
Empurrando de si a poeira que subia...

Na outra mão onde tinha deixado o inseto
Estava cerrada...
Balançava a cabeça com medo do que viria...

Sua expressão era fria...distante ... e solitária...

Meus pincéis desenhavam aquele semblante triste e perdido...

Ele ficou imóvel durante muito tempo....
Como se soubesse que era meu modelo vivo....

Naquela quietude...
Eis que ... ele sentiu algo em sua mão...
Pois despertou da inércia... do seu silêncio mórbido

Levou sua mão pra perto do seus olhos...
E calmamente abriu-a...

A borboleta o olhava... era o que eu notava...
Estava distante mas tinha certeza....que havia algo extraordinário acontecendo ali...

Seu sorriso ressuscitou nos lábios...

E acho que os dois se abraçaram mutuamente

Compartilhando seus limites... Seus últimos dias de vida juntos...

gratos um ao outro por não partirem sozinhos....

Pintei incansavelmente...

A visão desse momento raro...

O reencontro do homem com seu lado menino...

E a natureza de braços abertos para recebê-lo...

Um momento único e puro ...
Um instante de paz....amizade.... e despedida...

Nenhum comentário: