23 de ago de 2009

Como?

Como se espera que eu prossiga
Sabendo que o dia clareia e não vem inspirações de um amor eterno?
Que toda essa baboseira desenhado em versos e músicas mentirosas
Não passam de ilusões poéticas que servem para invadir a alma e propagar sofrimento de sonhos irreais?

Como posso deixar que essa tola esperança ainda continue no meu peito
Me alimentando de coisas imbecis e impossíveis?

Como posso escrever palavras apaixonantes senão me acontece isso?
Se tudo se esquiva do meu peito?
Se minhas palavras são só frases prontas de idiotas lembranças?
Criadas em momentos de copo transbordando da mais gelada cerveja?
Com risos empolgantes
Álcool no sangue
Tudo uma imaginação de noites frias, noites quentes, noites vazias

Como posso tentar me achar se não sei mais que caminho quero seguir?
Se a escuridão vorazmente me deixa com o olhar perdido?

Não posso buscar mais sentido
Não quero mais palavras fantasiosas
Não quero mais rimas e estrofes
Não quero mais Fé no amanhã
Não quero mais meus pensamentos, meus delírios

Quero apenas minha inércia
Quero apenas o único sentimento que existe na vida...

O SILÊNCIO...

Nenhum comentário: