13 de jun de 2009

Janela Secreta

Eu as vezes me refugio nesse meu universo próprio
Na concha dos desesperados
e deixo tudo de inseguro tomar-me conta
devorar-me de dentro pra fora
destruir-me sem ao menos reagir
Deixo pra sentir
o limite do abismo
o limite do não sei
o limite do perigo
deixo que ache que estou indo sem conseguir voltar
adentrando o espaço vazio da solidão
deixando-me no canto sozinho
deixando-me com meus olhos marejados

Porém duram alguns minutos
eternizam sofrimento
angústia
fraqueza
abre-se o espaço
e nesses instantes
se não invadir o caminho do meu mundo
não haverá outra chance....

De repente.............
meus olhos param de se perderem
minhas lágrimas morrem
de certo tudo eu sinto no peito
tudo invade o espaço
tudo entra sem bater
buscando esconder o medo de tudo
o tudo do medo
nem quero saber
expulso a incerteza
derrubo a insegurança

Estou de novo curada
pronto para mais uma batalha
de novo com a gargalhada
com a constante loucura

Estou de volta
nem tão bela
mais de volta mais certa e segura
do que todas as outras vezes
troco-me de pele
estou nova....reluzente e esperando um novo e verdadeiro amor............

Nenhum comentário: