27 de nov de 2007

Por uma lembrança e uma eterna saudade

Inerte ali olhando tudo ao meu redor
Tive a certeza que não era um sonho
E por um segundo eu queria sumir
Não sentir a dor tão forte em mim
Ir para longe de quaisquer vestígios do Adeus
Deixando de relembrar sorrisos e abraços
Frases malditas
Palavras esquecidas
Fechar os olhos e num mundo meigo esconder-me
Mas apenas o cinza da infelicidade me invade
Somente um cheiro de tudo que morreu me envolve
Reluto contra o seu rosto frio
Tento aquecer suas mãos geladas
Olho o teu peito busco um sopro de vida
Ressurgindo entre seus lábios lindos
Mas o silêncio me domina
Lágrimas e desesperos anunciam
Não existe mais luz
O calor que exalava do teu corpo com furor
Se foi...
E de repente pensei “não terei mais você”
O vazio continuará forte e mais forte
As lembranças coroarão para sempre meus pensamentos
E nem por um milésimo destas recordações
A tocarei novamente
Sua voz... Tenho medo de apagar de minha mente
Seu sorriso estridente... não mais ouvirei
Adeus... É o que eu tento aceitar
Adeus... E um dia nos encontraremos
Adeus... É no que eu preciso me apegar
Adeus... Minha irmã...
Adeus meu amor
Meu coração sempre estará contigo!

Nenhum comentário: